InícioMunicípiosAnta GordaAção solidária visa ajudar o jovem Andrius Civa

Ação solidária visa ajudar o jovem Andrius Civa

Internado desde o dia 21 de abril, após sofrer um acidente, ele precisa da ajuda da comunidade

Por Rosemary Piccinini

Mobilizado com a situação em que se encontra o jovem antagordense de 26 anos, Andrius Victório Civa da Silva Dias, e após tomar conhecimento de uma campanha de arrecadação nas redes sociais, a equipe do Eco Regional entrou em contato com a mãe de Andrius, Deuceli Civa Ribeiro, afim de também engajar-se na ação solidária

- Advertisement -

 

Recorde o acontecido

Andrius é microempreendedor, pai de um menino de quatro anos, e residia, até então, com a avó materna na cidade de Anta Gorda.

Era 21 de abril, por volta das 8h, o jovem que conduzia um Ford Fiesta no sentido Anta Gorda/Encantado, pela ERS-432, Rodovia Marivanda Blanger Casagranda, saiu da pista e colidiu em uma parada de ônibus localizada nas proximidades da empresa Agrodalla.

Ele foi atendido no local e encaminhado para o Hospital Padre Hermínio Catelli, de Anta Gorda, sendo após transferido para o Hospital Bruno Born, de Lajeado.

Saiba como está o jovem

Andrius deu entrada no hospital, segundo boletim médico do Hospital Bruno Born, com traumatismo craniano grave, com fratura de crânio e exposição externa de massa encefálica (cérebro), sendo que passou por cirurgia de craniotomia descompressiva de urgência. Também apresentava múltiplas fraturas na face e foi diagnosticado ainda com quadro neurológico grave e perspectiva de sequelas permanentes (dados referentes ao atestado médico do dia 18 de maio de 2022).

De acordo com a mãe do jovem, Deuceli Civa, ele não realiza qualquer movimento, alimenta-se por sonda e somente abre os olhos. “O que eu mais queria era ter a certeza que daqui a seis meses ele estaria caminhando, mas não. O médico disse é que é para eu ficar preparada, pois assim como ele pode melhorar, ele pode piorar. Hoje ele não recebe comandos, ele abre os olhos, mas não sabemos o que ele está enxergando, assim como a oftalmologista falou. A única coisa que sabemos é que ele escuta, mas não sabemos qual o nível da audição. Ele não se mexe”, conta.

Deuceli reside em Encantado e destaca que é para lá que o filho irá quando receber alta hospitalar, ainda sem data prevista. “Sou eu quem vou cuidar dele até ficar bom, pois minha mãe não tem condições em razão da idade. Eu já consegui até uma cama hospitalar para colocar na minha casa. A minha prioridade agora é cuidar do meu filho”, frisou ao acrescentar: “Ele não tem previsão de alta, pois assim como está bem, do nada ele apresenta febre e convulsões. Os médicos estão fazendo vários exames nele, todos os dias, e posso afirmar que está muito bem cuidado aqui, com atendimento de fonoaudióloga, fisioterapeuta três vezes por dia, dentista e oftalmologista”, disse.

Ela revela que o filho saiu da UTI há duas semanas. “Mas estamos em um quarto de isolamento porque ele está com uma bactéria no sangue”, declarou.

Ajude o Andrius

Deuceli ressalta que o que o filho mais precisa no momento são doações de fraldas de adulto no tamanho extra G, pomada para assaduras e lenços umedecidos. Interessados em ajudar podem entrar em contato pelos telefones (51) 99528.2843 ou (51) 99943.9816 para combinar o local da entrega/retirada, ou ainda, se desejarem contribuir com valores para a compra dos itens citados o PIX é 567.557.670-34.

O jovem junto à mãe Deuceli

“Toda ajuda é muito bem-vinda. Eu até tenho condições de comprar algumas coisas, tanto que estou comprando, mas daqui a uma semana ou 15 dias eu não vou ter mais, os gastos com ele estão sendo muitos”, lamenta. “Eu ajudei muita gente nessa vida, principalmente na pandemia. Cada bolo, cada torta fria, panqueca ou lasanha que eu vendia, eu destinava uma parte do valor para ajudar alguém. Hoje quem precisa de ajuda sou eu”, acrescentou.

Ela encerra demonstrando gratidão, mesmo diante da situação delicada que vive com o filho. “Quero agradecer o primeiro atendimento do hospital de Anta Gorda, pois lá salvaram a vida do meu filho. Se não existisse esse hospital de Anta Gorda meu filho não estaria aqui hoje. Quero agradecer o maravilhoso atendimento dos profissionais aqui do hospital de Lajeado. Agradecer a todas as pessoas que até agora oraram pelo Andrius, independentemente da religião, e peço que assim continuem, pois eu creio num Deus maior que possa me ajudar. Enfim, a minha palavra é gratidão por tudo, principalmente por meu filho estar vivo até agora”, concluiu.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.