Dália Alimentos abre as portas de suas indústrias e jovens se impressionam com tamanho e volume de negócios da cooperativa

0
262

Grupo de jovens que participa do Programa de Gestão e Liderança da Propriedade Rural visitou áreas administrativas, de apoio e unidades fabris em Encantado e Arroio do Meio

Uma significativa parcela das famílias associadas à Cooperativa Dália Alimentos a conhece pela solidez de uma empresa que carrega 72 anos de história, pela transparência em seus negócios, pela tradição de seu nome e pela qualidade de seus produtos. Algumas destas famílias talvez nunca tiveram a oportunidade de entrar em alguma das unidades de produção e industrialização, as quais que recebem destas m mesmas famílias matéria-prima para a industrialização de suíno, leite e, futuramente, frango.

Os jovens que fazem parte do Programa Gestão e Liderança da Propriedade Rural tiveram essa oportunidade e no dia 6 de setembro conheceram o parque, os setores de apoio, as áreas administrativas e as unidades fabris da cooperativa. Uma exceção que a Direção da Dália Alimentos concedeu aos jovens, já que o acesso à área interna da cooperativa demanda por restrições devido à segurança, sanidade e biosseguridade.

O tour pela Dália que muitos ainda não conheciam teve início no Parque Dália, em Encantado, uma área com árvores, muitas nativas, flores e edificações históricas que englobam o parque inaugurado no 60º aniversário de fundação da cooperativa. Nesta primeira etapa a condução da visita ficou a cargo da supervisora das Áreas de Apoio da Divisão Produtos Suínos, Diana Bagatini Soga, que apresentou o parque e setores de suporte para a unidade frigorífica, cujo local não é permitida a entrada, contudo, foi conhecido em sua parte externa. Da mesma forma foram visitados os laboratórios de microbiologia e bromatologia com explanação da supervisora de Laboratórios da Divisão Controle de Qualidade, Graziela C. Botega. A Central de Notas (Balança) e a Central de Grãos e Rações também foram visitadas e apresentadas pelos supervisores João Beneduzi e Walter Rahmeier, respectivamente.

Na área administrativa os jovens conheceram o Edifício JBM onde, nos quatro andares, estão locados os funcionários responsáveis pela controladoria, pelo comércio e marketing, pela exportação, pelo social, pela comunicação, pelo secretariado e pela Direção da Dália Alimentos.

O ápice da visita ocorreu no turno da tarde quando o grupo se deslocou até a localidade de Palmas, na ERS-130, em Arroio do Meio, onde foi apresentado o maior investimento da cooperativa no momento: o Complexo Avícola. No local, o gerente da Divisão Frango de Corte, Pedro Raul Malmann, mostrou os setores do empreendimento com precisão de começar a operar no início de 2020 com o abate inicial de 55 mil aves por dia.

O dia encerrou-se no Complexo Lácteo, também em Palmas, com recepção e acompanhamento do gerente Antonio Salazar e dos supervisores Guilherme Ricardo e Geovane da Costa, dos setores leite UHT e leite em pó, concomitantemente. Os jovens conheceram a parte externa e interna da indústria que tem capacidade diária de recebimento de 1,1 milhão de litros de leite. Visitaram desde o recebimento da matéria-prima, a área de pasteurização, de secagem de leite em pó, de ultrapasteurização, de envaze e de encaixotamento do leite UHT.

Senso de pertencimento
A visita foi acompanhada pelo presidente do Conselho de Administração, Gilberto Antônio Piccinini, que enfatizou que a Dália abriu suas portas ao grupo por se tratar de jovens inteligentes e que, futuramente, poderão se tornar lideranças dentro da cooperativa. “A Dália Alimentos dispõe de um parque industrial altamente tecnológico, com funcionários extremamente capacitados e com produtores que se esmeram para fazer o melhor no campo com vistas a entregar uma matéria-prima de alta qualidade. Uma cooperativa com mais de 70 anos se constrói com responsabilidade, transparência, diálogo e pé no chão. É desta forma que conduzimos os trabalhos há 72 anos, crescendo com os produtores, com os funcionários e com as comunidades onde atuamos. Esperamos que esse dia tenha sido uma aula prática, de profunda aprendizagem e que o senso de pertencimento tenha crescido dentro de cada um de vocês”.

A jovem Andreza Balerini (24), produtora de leite no interior de Vespasiano Corrêa, não escondeu a satisfação em poder notar inloco a estruturação do Complexo Avícola e o funcionamento da Unidade Frigorífica de Suínos e do Complexo Lácteo, colocando a cooperativa em um patamar à frente de outras empresas. “Hoje, mais do que nunca, tivemos a sensação de pertencimento, de realmente vestir a camiseta e fazer parte da Dália Alimentos. Conhecer tudo isso foi uma incrível oportunidade que o Programa de Formação de Lideranças Rurais nos proporcionou, um curso que a Dália está nos disponibilizando de forma gratuita, colocando os melhores professores em sala de aula e nos proporcionando uma educação continuada, sem precisar sair de casa para frequentar uma faculdade. Precisamos evoluir e essa visita certamente será um fator agregador para o nosso crescimento pessoal e para melhor gerir os negócios em nossas propriedades”.

Produtor de suínos em União da Serra, o jovem Maicon Zanuzzo (27), expressou a visita como uma oportunidade de aproximar cooperativa e produtor. “Sentimos que, de fato, fizemos parte da Dália. Nas gerações passadas o contato era distante, porque o produtor produzia, entregava e recebia. Agora o contato se tornou muito mais próximo e direto. O fato da cooperativa abrir suas portas para nós é motivo de alegria, pois ao ver a dimensão da empresa e sua organização sabemos que estamos produzindo para uma empresa séria, justa e transparente, o que nos orgulha”.

Texto e fotos: Divulgação Dália Alimentos

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome