Justiça autoriza corte do ponto de professores em greve

0
630

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul negou, nesta quarta-feira, 4, um pedido de liminar protocolado pelo Cpers a fim de impedir o corte do ponto dos professores em greve. A paralisação completa no dia 18 de dezembro, um mês. O sindicato que representa os educadores alegou que o Executivo não pode descontar os dias parados dos servidores, já que não vem pagando os salários em dia. O desembargador Glênio José Wasserstein Hekman, do TJRS, negou o recurso do Cpers.

A procuradoria-geral do Estado (PGE) já havia argumentado que as alegações do sindicato não podiam servir de justificativa, uma vez que a crise fiscal vivida pelo Estado alterou o cenário de pagamento do funcionalismo, que já amarga 48 meses de parcelamento.

No dia 22 de novembro, o governador Eduardo Leite (PSDB) assinou ofício confirmando o corte de ponto dos professores que entraram em greve. Leite colocou-se a disposição para negociar a primeira semana de paralisação, porém depois de cinco dias de greve definiu pelo desconto em folha.

Fonte: Correio do Povo

 

 

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome