InícioDestaqueMorte precoce de abelhas é causada por agrotóxicos usados no RS

Morte precoce de abelhas é causada por agrotóxicos usados no RS

Não é novidade que o uso de agrotóxicos é prejudicial à vida das abelhas. No entanto, um levantamento da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR), mostrou o quanto esse tipo de substância é mortal para as colmeias. Entre janeiro e maio de 2021, 77% das amostras de colmeias com mortandade de abelhas no Estado apontaram a presença de fipronil, inseticida utilizado em vários tipos de cultura. No período avaliado, foram coletadas 18 amostras de colmeias que registraram mortandade, algumas em 100% das abelhas.

Dos 13 laudos que já estavam prontos, verificou-se a presença de fipronil em 77% das amostras. Em 69% delas, havia a presença de mais de um ingrediente ativo. E em duas foram registradas as substâncias Carbofurano e Fluquinconazol, de uso proibido no Rio Grande do Sul. As amostras foram coletadas em Candiota, Carazinho, Caxias do Sul, Encruzilhada do Sul, Entre-Ijuís, Hulha Negra, Lagoa Vermelha, Marcelino Ramos, Nova Roma do Sul, Passo Fundo, Quatro Irmãos, Sananduva, São Pedro do Butiá, São Vicente do Sul e Vera Cruz.

A partir da denúncia, que pode ser registrada em qualquer inspetoria ou escritório de defesa agropecuária da SEAPDR, uma equipe composta de um agrônomo e um médico veterinário da Secretaria visita a propriedade para a coleta de amostras.

A partir de um inquérito do Ministério Público sobre a relação entre a mortandade de abelhas com o uso do fipronil, foi criado o Sistema de Informação e Monitoramento de Abelhas. A iniciativa está em fase de implementação e quer implementar polos em dez regiões geográficas do Estado.

O objetivo é monitorar, de forma remota, o fluxo e atividades das abelhas, para ver quais são os períodos do ano com maior ou menor movimentação, e o que tem implicado nas mortes. O sistema também pretende monitorar resíduos de agrotóxicos no mel, no pólen e em abelhas campeiras, além de caracterizar e monitorar microrganismos e ectoparasitas que possam causar doenças às colmeias.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.