“Nós estamos num ponto zero, sem nenhuma pista”, lamenta esposa de Jacir Potrich

1
3557

Hoje fazem três dias do desaparecimento do gerente do Sicredi de Anta Gorda, Jacir Potrich.

A esposa, Adriane Balestreri Potrich  (na foto ao lado de Potrich) fala que a situação deixa a família com um sentimento de angústia muito grande e frustrada por não poder fazer nada. “Nós estamos num ponto zero. Não temos nenhuma pista. Não temos como agir, precisamos esperar. Até então, o Jacir está desaparecido, não sabemos o que aconteceu”, relata, afirmando que todos estão envolvidos desde a quarta-feira, 14.

Adriane diz sentir que o marido foi levado. “Por mim, sinto que ele deve ter sido levado. Porém, não podemos afirmar nada, não há nada de concreto. Acredito que ele esteja talvez não tão bem, mas vivo em algum lugar. Mais dia, menos dia, vamos receber uma notícia, alguma informação e ele vai chegar em casa, sã e salvo”.

Potrich, a esposa, e um sobrinho de 24 anos, moram em um condomínio fechado, afastado do centro da cidade.

Após o expediente na agência bancária, Potrich saiu para pescar na propriedade de Moises Dalla Vecchia, na comunidade de Linha Quinta. Dalla Vecchia conta que não percebeu nada de diferente. “Fiquei cerca de dez minutos com ele, peguei alguns peixes e voltei trabalhar, mas não notei nada de diferente”, conta.

As imagens mostram que o bancário chegou em casa às 19h07min, sozinho, se dirigiu para os fundos da casa carregando um balde onde estaria levando os peixes fisgados no açude de um amigo. No momento do sumiço, Potrich estava sozinho na residência.

O veículo ficou na garagem com a carteira e outros documentos. Potrich levou consigo apenas o telefone celular. Uma das câmeras mostrou ele entrando e outra, passando pela porta dos fundos carregando o balde e um copo, e caminhando em direção a piscina.

 

 

1 comentário

Deixe seu comentário