Tecnologia é a principal mola propulsora para o RS voltar a crescer

29

Secretário de Inovação do RS, Luís Lamb e o empresário James Baijczuk, participaram da Live Tá na Mesa desta quarta-feira (28).

Na teoria, a economia global vem se modificando dia após dia, tanto pela cronologia dos tempos, quanto pelos avanços científicos. Com a pandemia que assola o planeta, países e suas economias viram a necessidade do investimento em T.I. (Tecnologia da Informação), presente em tudo. As longas viagens para participar de uma reunião foram substituídas pela câmera do smartphone, tablet ou, para os mais tradicionais, desktop.

 

Marcando, exatamente, os 93 anos da FEDERASUL no dia de hoje, a presidente Simone Leite recebeu para falar no Tá na Mesa, o atual secretário do RS, Luís Lamb, que comanda a pasta de Ciência, Tecnologia e Inovação, e o vice-presidente da CWI Software, James Bajczuk, sobre os reflexos de investimentos em capacitação e fomento à tecnologia no desenvolvimento do Estado.

 

 

Com o advento da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), a importância do tratamento do dado, seja de pessoa física ou jurídica, é perante o cenário econômico mundial a principal “commoditie”, tendo a relevância comparada com o petróleo, por exemplo. Luís Lamb reconheceu que apenas a tecnologia por si só não promove desenvolvimento “é preciso que seja promovido e fomentado a importância do conhecimento tecnológico. Da pesquisa. Da educação. Tecnologia é transformar valores”, afirmou.

 

 

Entre os principais pontos de inovação apresentados, o programa macrorregional Inova RS, que reúne oito localidades do Estado. Ele é organizado com a finalidade de levantar dados locais, com foco e objetivo na economia da região, por meio de parcerias com lideranças educacionais, empresariais e políticas. “A missão do Inova RS é trazer a tecnologia como gerador de riqueza como estratégia de governo. É por meio da inovação, fator decisivo e de sucesso de qualquer negócio, que o RS crescerá”, disse Lamb. A economia deve ser de base tecnológica e do conhecimento, somente assim estará conectada com a realidade global.

 

 

O vice-presidente da CWI Software, James Bajczuk, apresentou um programa que reúne diversas empresas, e que tem o objetivo de difundir e preparar jovens ao mundo da Inteligência Artificial e T.I. A plataforma +PraTI vai muito além de um banco de currículos, ela fomenta o espírito empreendedor e o conhecimento sobre o mundo cibernético. “É preciso que haja uma articulação entre empresas, governos, entidades e pessoas. É uma conexão de pensamentos em prol do desenvolvimento do RS aliado à tecnologia”, disse James.

Fonte:Imprensa Federasul

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome