Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueGoverno do Estado prepara editais para leilão de dois blocos de estradas

Governo do Estado prepara editais para leilão de dois blocos de estradas

 

Nova concessão reacende a discussão sobre os impactos dos aumentos das cancelas

Por Manoela Alves

- Advertisement -

Após o leilão de três blocos rodoviários, o Governo Gaúcho prepara o lançamento dos editais de dois conjuntos restantes com 859 km de estradas, sendo o bloco 01 nas regiões metropolitana, litoral norte e das hortênsias; e o bloco 02 no Vale do Taquari e norte do estado. A concessão será de 30 anos para a empresa vencedora.

O presidente da CIC-VT, Ivandro Rosa, explana sobre os motivos da preocupação de prefeitos e autoridades em relação aos altos custos que podem ser pagos nas praças de pedágios da região. “A lógica do leilão é sempre quem der a melhor oferta e oferecer a melhor tarifa vence a disputa. Por isso, quanto mais empresas entram na licitação, os preços tendem a ficar mais baixos”, explica.

Para o leilão do bloco 03, que já aconteceu, houve apenas uma empresa inscrita, por isso não houve a preocupação de ter uma oferta atrativa, sendo oferecido um desconto de 1,3%, enquanto o governo esperava por 40%.

Para o bloco 02 do leilão, no qual está incluído o Vale do Taquari, acredita-se no interesse de mais empresas, porque duas empresas diferentes já operam no Vale. “A expectativa do governo é que um número maior de empresas se interesse nesta concessão. Com mais empresas, aumenta a disputa, e teoricamente, melhora-se os valores oferecidos. Talvez até com oferta de valores mais baixos do que o governo está estimando”, continua.

No orçamento apresentado pelo Governo, a praça de pedágio de Encantado passaria a ter o valor de R$9,65, a de Boa Vista do Sul de R$9,59 e a de Cruzeiro do Sul R$9,15. Com isso, com mais empresas na disputa a tendência é que haja proposta de valores mais atrativos.

 

Mesmo com a disputa há a preocupação das entidades

Ivandro declara que ainda há fortes preocupações em relação ao leilão e a concessão das rodovias, principalmente no Vale do Taquari. “Claro que nos preocupamos muito, afinal atualmente a empresa responsável é a EGR, e esta empresa tem uma tarifa de R$6,30 para veículos, e nós defendemos que alteração do valor para R$9,65, é um reajuste muito alto e que prejudica muito a economia da região, pois estará inserido nos produtos produzidos aqui. O reajuste dos pedágios, por tanto, abala a competitividade do setor, principalmente no primário, comparado a regiões que não tem este custo”, continua.

A preocupação é de que a economia, já tão abalada após a pandemia, fique ainda mais prejudicada, mesmo sabendo que as estradas com pedágios são melhores conservadas.

O que a região do Vale tem cobrado incansavelmente é que sejam implementadas obras em volume maior do que os oferecidos pelo governo. “A proposta que o governo fez passou pela audiência pública, mas nós fizemos reivindicações e foi feita a devolutiva, com um número um pouco maior de obras, mas ainda não atende a nossa necessidade, por exemplo, a Dália Alimentos, localizada em Arroio do Meio, não tem trevos condizentes com as suas necessidades de produção e sua atividade. Por isso, a nossa reivindicação é um número maior de obras, mas com um valor mais baixo. Infelizmente o Governo não está ouvindo da forma como gostaríamos e insiste para que o leilão seja feito o mais rápido possível”, explica o engenheiro.

 

A inclusão da ERS-332 é um sonho distante

A Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT) vem há anos solicitando que a rodovia ERS-332 também seja incluída nos blocos dos pedágios, para que tenha ao menos uma manutenção melhor do que a apresentada.

“O problema maior é autoridades da região precisarem sempre ir em busca de recursos do governo para manutenção e conservação da estrada e ela continuar em péssimas condições. Com a inclusão dela nos blocos de pedágio, isso acabaria, pois a empresa responsável faria a manutenção regular da rodovia e sua qualidade seria melhor do que está”, explica.

“A CIC regional, juntamente com as associações comerciais, tem encaminhado com frequência, ao Governo do Estado, ofícios solicitando a melhoria e aprimoramento deste projeto. Ainda não temos uma resposta positiva para as nossas solicitações”, diz Ivandro.

Recentemente foi solicitado para a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) apoio às reivindicações da CIC-VT. Na manhã desta quinta-feira, 28, o presidente da federação esteve reunido com o governador do Estado.

“A resposta que tivemos é que o processo ainda está sendo analisado e que nos próximos dias haverá uma audiência com o governador, para buscar estes encaminhamentos. Vamos buscar a garantia de que o projeto seja condizente com as necessidades da região e que o preço seja possível de adequar a nossa economia, sem que isso prejudique e desfavoreça os negócios aqui realizados”, finaliza.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.