Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueMunicípio registra primeiro óbito de paciente com dengue

Município registra primeiro óbito de paciente com dengue

Prefeito falou sobre a situação, destacou o trabalho que o município está realizando e reafirmou seu compromisso com a saúde da comunidade putinguense

Por Oneide M. Duarte

 Nos últimos dias, uma notícia chamou a atenção na região, isso porque foi confirmado na cidade de Putinga o primeiro óbito de um paciente com dengue na região Alta do Vale do Taquari.

- Advertisement -

O prefeito Paulo Lima faz um alerta sobre a situação em seu município. Ele destaca a importância do agente de endemias, que está fazendo um trabalho ostensivo de conscientização junto à população. Lima argumenta que o cargo de agente de endemias já havia sido criado em outras oportunidades, porém, ele lamenta o atraso da renovação do contrato com o agente.

“Já tivemos um pequeno embate interpretativo, então perdemos ali um mês entre renova, vai ou fica, sem agente de endemias, porque tinha que fazer um processo seletivo, fizemos o processo seletivo, mas só uma pessoa tinha capacitação para passar, que era justamente quem já estava, pois tem que ter o curso de treinamento, então foi contratada a mesma pessoa, e ali perdemos um mês”, lamenta o prefeito.

O prefeito destaca que além do agente de endemias, foram engajados os agentes comunitários de saúde. Foram criadas as equipes volantes que estão fazendo visitas regulares, notificando as pessoas, sendo que a lei se tornou mais rigorosa no sentido de prevenção, além do trabalho de orientação da população sobre a importância dos cuidados e a divulgação da situação do município em relação à doença.

Primeiro óbito de paciente positivado

Paulo Lima fala também da confirmação do primeiro óbito confirmado de dengue na cidade. “Essa cereja negativa da campanha, que foi a confirmação do primeiro caso de óbito, não digo que foi por dengue, pois o paciente já estava debilitado por outras doenças e foi por isso que ele foi transferido, mas ele também era positivo para a dengue, mas a dengue não é a causa mortis primeira, mas ele estava positivo então isso repercute e acaba sendo um alarme para a população”, explica.

Segundo o prefeito, o paciente já tinha um histórico de vários problemas de saúde e a demora do resultado pode ter sido em função do período de encubação, onde o sintoma não é imediato, podendo demorar de três a cinco dias para aparecer, e isso pode ter acontecido, pois segundo ele, foi feito teste e num primeiro momento deu negativo. “Talvez ele pudesse estar com dengue, fez o teste, mas como estava no período de encubação, acabou dando negativo”, diz.

Secretária lamenta demora dos resultados

A secretária Municipal de Saúde, Deise Debona, afirma que recebeu o resultado oficial do Lacem somente na última quinta-feira, 26 de maio, 14 dias após o falecimento do paciente, e imediatamente foi repassado para a imprensa.

“A dengue não foi a causa principal, porém pode ter desencadeado outros problemas que levaram  o paciente a óbito e nós lamentamos essa morte”, diz a secretária. Para Deise, até a última quarta-feira, 1° de junho, eram 15 casos suspeitos de dengue, sendo que três foram positivados, tendo um óbito. “Temos uma demora do Lacem em relação aos demais casos suspeitos, estamos sem previsão de confirmação ou descarte do laboratório”, finaliza a secretária que pede que a população siga adotando os devidos cuidados e  colaborando na prevenção de novos casos.

Secretária lamenta a demora dos resultados do Lacem

Contraponto da esposa

Vilma Giacomini, de 63 anos, é viúva de Agostinho Giacomini, com quem foi casada por 42 anos. Ela argumenta que seu esposo foi levado a Passo Fundo para fazer uma sonda para urina com o urologista.

“Meu marido foi levado para Passo Fundo, pois lá ele colocaria uma sonda para poder urinar, pois ele estava com a próstata um pouco inchada. Esse foi o motivo da ida a Passo Fundo”, conta Vilma.  “Ele ficou internado no Hospital Oscar Benévolo de Putinga dois dias fazendo exames sem diagnosticar nada. Quando foi feito o exame da dengue deu positivo, ai ele ficou uma semana internado aqui em Putinga e aparentemente ele estava tratado da doença”, afirma.

“Com a transferência para Passo Fundo, onde foi colocada a sonda, ele teria tido uma hemorragia interna causada por uma úlcera estomacal, e isso teria levado ao óbito”, diz a viúva. Ela confirma, porém, que seu marido tinha vários problemas de saúde e que talvez isso tenha mascarado os primeiros sintomas da dengue. “Meu marido nunca saia de casa, ele tinha vários problemas de saúde e talvez isso tenha mascarado os primeiros sintomas”, finaliza.

Viúva de Agostino Giacomini confirma que seu esposo sofria de vários problemas de saúde

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.