Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueProjeto de Lei visa transformar a cultura gaúcha em matéria curricular

Projeto de Lei visa transformar a cultura gaúcha em matéria curricular

Apresentado em 27 Câmaras dos Legislativos gaúchos, projeto busca o resgate da cultura e tradição

Desde a apresentação do projeto encabeçado pelo vereador do PDT, Ivo Martins Erguilhor, do município de Don Pedrito, o Projeto de Lei que visa transformar a cultura gaúcha em matéria curricular em escolas municipais tramita em algumas Câmaras de Vereadores. No município o projeto teve aprovação e será implantado a partir de 2022 nas escolas.

Em sua justificativa, o vereador de Don Pedrito frisou: “Pelo respeito e orgulho a nossas raízes históricas, folclóricas e culturais artísticas. Pela página brilhante da história que nossa Dom Pedrito ocupa no glorioso cenário cultural do nosso Estado, tendo sido palco do lendário (Tratado da Paz Farroupilha). O tradicionalismo, que possui entre suas bases o folclore, a arte, o esporte e a recreação, entre outros ramos do saber que intermedeiam o alcance dos fins tradicionalistas. O tradicionalismo, além de rememorar fatos históricos importantes da história gaúcha, visa a construção de um futuro glorioso, embasado no que há de mais belo no nosso Rio Grande do Sul, nossa história e nossas tradições. A iniciativa de estimular o ensino da cultura do nosso Estado na rede municipal de ensino de Dom Pedrito, com certeza provocará inúmeras mudanças positivas no comportamento dos jovens alunos da Capital da Paz”.

A ideia já foi abraçada por mais de 30 Legislativos do Estado

O vereador do PDT de Fontoura Xavier, Bruno Batista Brum, é um dos defensores da implantação deste projeto no Município. “Nós nos inspiramos na iniciativa do vereador Ivo Martins Erguilhor, que colocou a sua ideia para a bancada e estamos levando a ideia para os Municípios, cada um fazendo a sua parte. É um assunto que está mobilizando muito o Estado e quem está puxando a frente também é o vereador Tiago Ilha, que é o presidente da União dos Vereadores pela Tradição Gaúcha”, explica.

A cultura e tradição gaúcha é muito rica e tem diversos encantos. “Esse projeto não vem apenas trazer conhecimento para as crianças, mas também para ensiná-las, desde cedo, a amar a nossa cultura, as nossas tradições, os costumes do Rio Grande. Ter o apego pelo CTG, pelo folclore gaúcho e conhecer a nossa história. Pois o Estado tem uma história linda, assim como os nossos Municípios, e tudo isso se encaixa nas tradições”, continua Brum.

“Precisamos desse estímulo desde cedo, pois hoje encontramos dificuldades de encontrar um patrão para o CTG, por exemplo. E o CTG é um lugar de respeito, e respeito e educação sempre vão andar lado a lado”, explana.

No Município de Fontoura Xavier a ideia inicial é implantar a disciplina dentro da didática de história. “A disciplina já tem relação com o que estamos propondo e podemos acrescentar ainda mais conteúdo ao que já é ensinado. A cultura do Estado passaria a ser mais trabalhada, na riqueza de detalhes. Após a lei ser sancionada pelo prefeito, então dentro da Secretaria de Educação será discutida a forma que serão realizadas as aulas. Assim poderemos cobrar mais, como é um exemplo na Semana Farroupilha, em que as escolas se mobilizam para criar e incentivar grupos artísticos, e queremos que isso tenha continuidade, mas não apenas uma semana no ano, que seja um conteúdo recorrente, pois isso pode auxiliar na transformação das pessoas”, finaliza.

Secretária de Educação já está à frente do assunto

Debate-se muito como o conteúdo será inserido na grade curricular de ensino, por isso a secretária de Educação de Fontoura Xavier, Laudete de Fátima Bortoncello Nunes, já está analisando as alternativas para a implantação.

“Ainda não estamos com tudo definido. A princípio pensamos em inserir dentro do conteúdo na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), onde tem a parte que é do Município, com a referência Fontoura Xavier para incluir na disciplina de história. Por que nós temos o Referencial Curricular Gaúcho (RCG) e temos o documento local, então neste documento local nós iremos acrescentar na disciplina de história”, explica a secretária.

A secretária acredita que organizando o conteúdo didático, a inclusão dos ensinamentos às tradições gaúchas será possível. “Já existe uma parte em que é trabalhado este conteúdo, o que faremos agora é aprofundar ainda mais a matéria”, continua.

Laudete ainda ressalta a importância da inclusão desse aprofundamento na matéria. “Eu acredito ser importante essa inclusão, pois nós somos gaúchos e o tradicionalismo está presente no nosso dia a dia. Notamos na Semana Farroupilha o quanto é importante ressaltar a cultura gaúcha para jovens e adolescentes como uma questão de envolvimento. Os jovens se envolvem de coração, eles demonstram um amor, uma paixão pela cultura e isso leva com que eles não tenham tempo de se aproximar de coisas não benéficas a eles, como envolvimento com drogas e bebidas, pois o CTG é uma tradição sadia”, finaliza.

“Um povo que não sabe de onde veio jamais saberá para onde vai”

O vereador do município de Farroupilha, na Serra Gaúcha, é quem preside o movimento dos vereadores pela tradição gaúcha e explica a importância da conquista deste espaço dentro das escolas municipais. “Nós como vereadores da frente sempre incentivamos essa possibilidade. A ideia do colega de Dom Pedrito serviu de inspiração. Eu dei um bom exemplo no meu Município lançando o projeto ‘Bem Gaúcho’, que não é uma lei, mas sim um programa onde a tradição gaúcha é fomentada dentro das escolas. Após o projeto do vereador ser protocolado, surgiu a ideia de levantar o movimento levando a ideia para outros municípios”, explica Tiago.

A frente parlamentar da União dos Vereadores pela Tradição Gaúcha obteve uma aceitação ampla dos seus parlamentares e em poucas semanas novos projetos já estavam sendo trabalhados em outros Municípios, sendo que alguns já estão aprovados e outros sancionados. “Eu tive o prazer de participar de uma aula experimental no Município de Pinhal Grande com a dinâmica de que os professores que já trabalham com o tema da história do Rio Grande do Sul, possam abordar de forma mais aprofundada esse tema, mantendo viva as nossas raízes”, continua o vereador.

A ideia principal é de que cada Município encontre a forma mais adequada de fazer esta inclusão. “A participação do Poder Público nesta empreitada é de incentivador, inclusive com a lei aprovada, pode-se colocar recursos e projetos voltados à tradição gaúcha. O apoio dos colegas vereadores está sendo muito forte, pois esta é uma realidade que está acontecendo agora, em poucas semanas já conseguimos ver o projeto sancionado com aula inaugural, no caso do município que estivemos visitando”, continua.

A ideia está se tornando realidade. “Quem sabe com este projeto podemos realizar um grande sonho de Paixão Cortes e Barbosa Lessa, quando começou esse grande movimento organizado. Desde a ronda crioula até mesmo a Semana Farroupilha, passando pelas danças tradicionais, o folclore. O sonho sempre foi ter a presença estudantil nesta base, na base do Estado do Rio Grande do Sul e ter a nossa história preservada, fomentada, trabalhada no currículo escolar vai fazer com que o nosso povo tenha em seu seio de formação a identidade principal que é a cultura gaúcha”.

“Um povo que não sabe de onde veio jamais saberá para onde vai. Então nesse sentido estamos muito felizes de ver quem sabe um grande sonho de Paixão Cortes e Barbosa Lessa em ver a cultura gaúcha dentro do colégio. Isso nos deixa muito entusiasmado e até emocionado”, finaliza.

Presidente da União dos Vereadores pela Tradição Gaúcha, Tiago Ilha

Secretária de Educação fala da inclusão na disciplina de história

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.