Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueRegião poderá sofrer um apagão de mão de obra

Região poderá sofrer um apagão de mão de obra

Idioney fala sobre as mudanças de comportamento e a preocupação com o futuro

O Diretor do Campus da UPF em Soledade, Idioney Oliveira Vieira em entrevista, falou sobre a preocupante situação que vive a região com relação ao interesse pelos estudos, pela qualificação profissional e o impacto que isso vai gerar no presente e no futuro.

“Sabe quando a pessoa compra um produto mas não quer que você entregue-o na melhor qualidade possível?” Pergunta Idioney para falar sobre a situação dos alunos que vão para a Faculdade, mas não fazem questão de aprender, apenas ser aprovado e receber o diploma.

Mas o problema vai ainda mais além e tem se agravado, nos últimos dois anos, o Campy que conta com cinco cursos não está conseguindo fechar novas turmas e com isso, há um risco de que os cursos que estão sendo disponibilizados sejam extintos por falta de público. “Apesar de todas as facilidades para ingressar nos cursos disponíveis, como bolsas, descontos, financiamentos, é notável a falta de interesse do público”, ressalta Idioney.

“Na região há uma carência gigantesca de mão de obra qualificada, de pessoas com formação e com condições de produzir, em paralelo existem muitas pessoas desempregadas ou subempregadas, que poderiam se qualificar e galgar melhores postos de trabalho, mas parece que falta algo, falta motivação, falta acreditar ser possível, falta estímulo”, destacou.

 

Educação presencial x a distância

No dia 7 de julho o Conselho Nacional de Educação publicou parecer com orientações para o retorno à presencialidade para todos os níveis de ensino no País, enfatizando que, no Ensino Superior a questão remota é possível e recomendada, mas que também, dentro das possibilidades de cada cenário, indica a utilização de aulas presenciais.

O diretor da Universidade de Passo Fundo (UPF), Campus Soledade, Idioney Oliveira Vieira, faz um apelo destacando a importância de as pessoas despertarem para as grandes perdas que serão geradas a longo prazo com relação ao ensino à distância. “As pessoas estão obcecadas e paralisadas pelas redes sociais, pelo mundo virtual, mas tem coisa mais incerta que esse universo? A educação virtual, embora exigida em tempos de pandemia, tem uma certa falsidade na formação, porque ela não desenvolve capacidades. As aulas virtuais não são como as presenciais, eu por exemplo, não consigo cobrar do aluno como eu deveria”, salienta ele que também é professor.

Ele alerta ainda para a necessidade de mão de obra qualificada. “Apesar da necessidade de mão de obra qualificada, infelizmente alguns jovens não tem demonstrado interesse em se capacitar. A UPF oferece, por exemplo, curso técnico em Enfermagem, mas não tem sequer turma fechada”, lamenta. “As pessoas tem ficado muito tempo nas redes sociais e o estudo fica em último plano”, acrescenta.

Ainda, segundo ele, as universidades que oferecem ensino à distância têm impactado fortemente as que oferecem ensino presencial, justamente porque muitos alunos, preferem o comodismo de suas casas ao ter que se deslocar a uma instituição de ensino. “É claro que pode haver a modalidade EAD. O que tem que ser diferente é a forma como as pessoas encaram essa forma de ensino, já que muitas cursam esse ensino só para obter a formação, o título, mas hoje não se precisa mais de pessoas com título, precisa-se de profissionais que saibam fazer”, destaca.

Ele finaliza enfatizando a falta de integração dos municípios de Arvorezinha, Ilópolis, Anta Gorda e outros, com a região de Soledade. “Nós não temos essa integração, nós vivemos e convivemos, mas preferimos estar mais perto de Passo Fundo ou de Lajeado e acabamos não fazendo trocas mais eficientes entre as duas regiões, o que acho que seria benéfica para ambas. Infelizmente a região não se conhece e só vamos nos dar conta do quanto uma integração maior, uma aproximação com as universidades e um esforço maior em prol da formação e qualificação da mão de obra são importantes quando estas coisas de fato impactarem nos negócios, na economia da região ainda mais forte, hoje já sofremos com a falta de mão de obra e de empreendedorismo, e vamos sofrer imensamente mais”, concluiu.

“Hoje não se precisa mais de pessoas com título, precisa-se de profissionais que saibam fazer.” Idioney Oliveira Vieira, diretor da Universidade de Passo Fundo (UPF), Campus Soledade.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.