Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueTendas do Pinhão são um cartão postal de Fontoura Xavier

Tendas do Pinhão são um cartão postal de Fontoura Xavier

 

As tendas localizadas às margens da BR-386 são tradicionais e conhecidas em todo o Estado e também fora dele

 

Há pelo menos 30 anos Fontoura Xavier é conhecida como a cidade das Tendas do Pinhão. Localizadas às margens da BR-386, elas são ponto de parada obrigatória para os viajantes, seja para comprar o pinhão, ou artesanatos e tapetes.

Além de exercerem um importantíssimo papel na economia da cidade, fazem parte do Patrimônio Turístico e Cultural da mesma, agregando valor aos produtos cultivados na região e, acima disso, ao povo fontourense.

O tendeiro Marino Góes de Azevedo, tem sua tenda há 25 anos na BR-386, mas ele conta que trabalha a mais tempo na BR. “Eu comecei trabalhando na Tenda da Sônia, que é minha madrinha. Com ela, trabalhei por aproximadamente seis anos. Somente depois que coloquei a minha própria tenda, a minha vida toda foi aqui”.

Segundo Marino, no início tudo era mais difícil e perigoso. “Quando começamos, não tinha as tendas como hoje, era um cavalete com uma tábua e um banquinho na beira da estrada, não tínhamos nenhum tipo de proteção, nos dias de chuva era muito complicado. Mesmo assim, muitas vezes ficávamos a noite toda aqui tentando vender”.

Nessa época eram vendidos apenas pinhão, feijão e bergamota. O tendeiro conta que tudo mudou com a construção das tendas atuais. “Nessa época não vendíamos o artesanato, os tapetes e outros produtos, pois não tinha estrutura, era apenas as tabuas e nós espalhados na beira da estrada. Tinha noites que ficávamos contando os carros, se passassem dez sem parar íamos embora, porque sabíamos que não seria um boa noite, só que as vezes passavam nove sem parar e o décimo parava, então ficávamos muitas vezes até amanhecer”.

As novas tendas

Um projeto do governo do Estado mudou as condições de trabalho dos tendeiros e deixou as tendas ainda mais conhecidas. “Foi na época do governo do Olívio Dutra que as tendas foram construídas, era um projeto para incentivar o turismo e a agricultura familiar. Para nós mudou tudo, antes dormíamos na beira da estrada para conseguir vender, agora temos como nos abrigar, estamos mais seguros, e mais que isso, podemos vender mais produtos”, conta o tendeiro.

A clientela das tendas é muito variada. Segundo Marino, muitos clientes são fiéis e têm a sua tenda preferida. “Aqui temos clientes de todo lado, alguns param uma vez quando os produtos chamam a atenção, têm clientes da região, do Estado, e até mesmo de outros Estados que vêm até aqui para comprar nossos produtos. Muitos clientes são fiéis, só compram em uma determinada tenda e recomendam para outras pessoas. Eu tenho clientes que compram aqui desde que abri a minha tenda”.

Projeto de modernização

Com as obras de duplicação da BR-386 sendo iniciadas, os tendeiros de Fontoura Xavier, São José do Herval e Soledade começam a se organizar para realizar um projeto de modernização para apresentar para a CCR ViaSul, com o objetivo de viabilizar a permanência às margens da rodovia.

O projeto foi enviado para o Ministério do Turismo para pleitear recursos. “Vamos tentar uma parceria com o Ministério do Turismo, cadastramos o projeto no sistema para tentar a sua viabilização. Sabemos que é um projeto que envolve um valor elevado, em torno de R$ 2 a R$ 3 milhões. Estamos definindo exatamente o valor de cada tenda e a questão dos acessos que vamos precisar”, diz a presidente da Associação dos Tendeiros, Izabel Prestes.

Izabel afirma que esse projeto servirá como argumento para os tendeiros negociarem com a CCR ViaSul. “Estamos nos organizando agora porque, a princípio, em dois anos começa a duplicação da BR-386, e queremos estar com o projeto pronto para apresentar à CCR. Queremos estar já realocados fora da faixa de domínio, com as tendas organizadas e com os acessos necessários”.

A maior preocupação dos tendeiros é quanto aos acessos às tendas, e essa será uma reivindicação que será apresentada para a concessionária. “Temos muita preocupação com os acessos, não só para os tendeiros, mas para todos os comércios que estão na BR-386. Vamos reivindicar junto a CCR esses acessos, para que possamos continuar com as tendas e os comércios abertos, gerando renda para as famílias e para o município. São muitas famílias que vivem das tendas e do comércio às margens da rodovia, fazendo o sustento da sua família”, afirma a presidente.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.