Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioMunicípiosCamargoBio Fuga anuncia o investimento de mais de R$300 milhões em Camargo

Bio Fuga anuncia o investimento de mais de R$300 milhões em Camargo

Após a prefeita apresentar projetos em sessão ordinária, vereadores aprovaram por unanimidade incentivos à empresa

O município de Camargo foi o escolhido pelo grupo Fuga para sediar mais um de seus grandes investimentos. A esmagadora de soja, surge como estratégia de diversificação da empresa gaúcha que tem sua origem nos segmentos de couros e produtos de origem animal e que em 2013, entrou também no ramo de biodiesel, a qual, atualmente produz 500 mil litros por dia em Camargo.

 Projeto audacioso

 O gerente de produção da Bio Fuga, Leandro Villa, dá mais detalhes sobre o projeto. “A esmagadora vai produzir o óleo de soja que será destinado internamente para a produção de biodiesel e também para a exportação. Além do óleo, a esmagadora vai gerar o farelo de soja, que serve basicamente para fazer ração”, explica ao ressaltar que a planta terá capacidade para esmagar até 1,5 mil toneladas de soja in natura por dia. “Porém, já temos a projeção de nos anos seguintes passar a esmagar 2 mil toneladas por dia. Há a previsão para abril de 2024 que esteja tudo funcionando”, revela.

Segundo ele, essa é uma nova empresa do grupo Fuga, mas que ao mesmo tempo, participará do complexo industrial que já existe em Camargo.O investimento, neste novo empreendimento ultrapassa R$ 300 milhões, sendo que contamos com a parceria do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e do Governo do Estado”, destaca.

O abastecimento de energia deve ser por conta da Coprel, que fará a instalação da rede em paralelo ao andamento da obra. O projeto de energia elétrica da esmagadora, gira em torno de R$ 3 milhões. O grupo Fuga aguarda o licenciamento da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) para o início da obra.

 Geração de mais de 80 empregos

Villa ressalta que após dar início às atividades, a esmagadora de soja deve gerar cerca de 80 empregos diretos. “O processo fabril da produção é muito automatizado, tem um nível de tecnologia muito alto. Assim, a automação vai fazer com que a fábrica trabalhe 24 horas por dia, sete dias por semana, durante todo o mês, praticamente não para, além de ter essa quantidade, precisamos de mão de obra qualificada, de todo um corpo técnico para fazer toda a especificação do produto como o mercado exige”, disse.

“Mas a obra em si, vai exigir também uma grande quantidade de pessoas para deixar o empreendimento pronto. Além disso, pelo menos 60 caminhões por dia devem estar se movimentando pela empresa. Então, de alguma maneira, esse empreendimento acaba mexendo com toda a cidade. Vale frisar que a empresa também se preocupa em dar uma estrutura a esses profissionais que precisam de abrigo à noite. Então, pretendemos deixar um lugar adequado para esses pernoitem”, conta ele ao agradecer ao esforço da Administração Municipal e Câmara de Vereadores. “Nos deram um voto para a empresa se sentir confiante de que as coisas continuarão indo bem, assim como tem ido”, disse.

Um passo além

Desde o ano passado o Poder Público de Camargo está empenhado em auxiliar na instalação do novo empreendimento. A prefeita, Jeanice Fernandes, recorda: “No ano passado já foi aprovado na Câmara de Vereadores o projeto de lei que autorizava o incentivo à essa esmagadora de soja, onde nos comprometemos tanto com a questão do acesso à empresa quanto com a pavimentação de 20 mil metros na parte interna dela. Também foram solicitadas, naquela a oportunidade, a isenção por dez anos do IPTU e a ampliação da zona industrial”, lembra.

Porém, diante de justificativas apresentadas pela equipe técnica da empresa, novos projetos precisaram ser elaborados pelo Executivo, em substituição aqueles já aprovados (projetos descritos abaixo). “Eles entraram, neste ano, com a solicitação da mudança do incentivo por parte do município, sendo que atendemos ao pedido após debatermos junto à Comissão de Incentivo às Empresas e em audiência pública com os vereadores e quando chegou na Câmara de Vereadores todos já tinham conhecimento. Nesta segunda-feira, ocasião em que prestigiei a sessão, pude apresentar os aspectos gerais desses projetos, esclarecer algumas dúvidas”, relata a prefeita ao acrescentar: “Inclusive, agradeço a toda a equipe que trabalha comigo por ter priorizado toda a tramitação, trabalhando direto para que pudéssemos apresentar bons projetos e obter a aprovação necessária”.

Todos os projetos alusivos à empresa, foram aprovados por unanimidade na sessão ordinária realizada na noite da segunda-feira, 25 de julho, na Câmara de Vereadores de Camargo. Ambos foram apreciados em Regime de Urgência. São eles:

O Projeto de Lei 048/2022, altera a Lei Municipal 1.326, de 03 de março de 2009, que dispõe sobre incentivos para a instalação de indústria, agroindústrias e empresas de prestação de serviços no município. Este projeto autoriza que na doação do imóvel para incentivo às empresas, a clausula de reversão e garantia poderá se fazer constar em outro imóvel, não necessariamente ao doado, desde que, o outro imóvel seja de valor igual ou superior ao doado.

O Projeto de Lei 049/2022 altera a Lei Municipal 2.009/2021. O projeto substitui os incentivos já aprovados à empresa Fuga Couros para instalação de unidade industrial no município, substituindo as horas máquinas e a pavimentação asfáltica que o município já havia se comprometido, pela doação de dez hectares de terra, avaliados, segundo a prefeita, em aproximadamente R$ 3.240 milhões.

Já o Projeto de Lei 050/2022, autoriza o município a doar uma área de terra de aproximadamente 6,5 hectares, onde se localizava o antigo lixão na comunidade de Tunas, como parte do pagamento da aquisição dos dez hectares de terras a serem doados à empresa Fuga Couros.

Ainda, o Projeto de Lei 051/2022, abre crédito especial no valor de R$ 1.650 milhões para efetuar o pagamento dos dez hectares de terra a serem cedidos à empresa Fuga Couros. Os recursos virão da doação ou venda da área de terras na comunidade de Tunas, bem como, da venda de veículos, máquinas e equipamentos, e ainda, da redução de recursos de outros programas que estavam previstos no orçamento, tais como manutenção do sistema de esgoto, manutenção do ginásio de esportes, construção de nova Unidade Básica de Saúde, assistência às famílias e comunidade, construção e reformas de moradias.

Para a prefeita, a substituição, a pedido da empresa, foi vantajosa para o município. “Acredito que a elaboração e aprovação desses projetos substitutos, foi um negócio bom e vantajoso para Camargo, pois se fossemos, por exemplo, executar os 20 mil metros de asfalto com os quais nos comprometemos, o investimento custaria muito mais à Administração Municipal”, frisa.

Um momento histórico

 Jeanice encerra, avaliando a instalação da esmagadora de soja em Camargo, como um momento histórico. “Houve todo um estudo de viabilidade para a instalação desse empreendimento, pois é um projeto grandioso, tanto, que é considerado o quinto maior investimento do RS. É algo que nos deixa felizes e gratos pelo grupo Fuga ter escolhido Camargo, embora tenha recebido propostas de outros municípios. Tem uma questão de logística sim, junto à Bio Fuga, mas Camargo tinha desvantagens no que influencia na questão de impostos, pois como no IDH é mais do que em outros municípios, isso acaba influenciando negativamente nas negociações, por isso que fomos, em 2021, em audiência com o governador do Estado, vice-governador e chefe da Casa Civil, pleitear por isenção de impostos à empresa”, enfatiza.

Ela seguiu: “Essa é uma conquista de todos nós, do Poder Executivo, Legislativo, da comunidade camarguense, pois esse novo empreendimento vai viabilizar o aumento da arrecadação no município, bem como gerar vagas de emprego, o que para nós é essencial, pois vai melhorar a qualidade de vida da nossa população”, declarou.

Alguns vereadores também se manifestaram sobre o empreendimento durante a sessão ordinária. “É um marco para Camargo. Em breve veremos nossa cidade crescendo muito. Nos sentimos com a consciência tranquilo por termos sido favoráveis a esses projetos”, disse o presidente do Legislativo, Alcione Rodrigues.

 Já o vereador Luiz Pagnussat, pediu a aprovação de todos os projetos de incentivo a Fuga Couros, destacando a importância econômica do investimento anúncio pela empresa. Na mesma linha, o vereador Clademir Lodi explanou sobre as aprovações aos projetos. “Essas aprovações ficarão na história do município. Tenho certeza que essa empresa vai trazer muitas coisas positivas para Camargo. São pessoas que amam o nosso município e que por isso estão investindo aqui”, salientou.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.