Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueClínica Vivere se destaca pela eficiência, tecnologia e praticidade que traz à...

Clínica Vivere se destaca pela eficiência, tecnologia e praticidade que traz à região

A clínica oncológica recebeu por dois anos consecutivos o prêmio de melhor prestador de oncologia do estado de acordo com a Unimed Federação RS

Fundada há seis anos em Nova Prata pelo médico oncologista Rodrigo Pineda, a Clínica Oncológica Vivere possui uma filial em Guaporé desde março de 2020. Coordenada pelo sócio, o médico oncologista Roberto Furlani, ela se destaca pela interiorização do tratamento oncológico e pelo conforto que traz aos seus pacientes.

Conforme Furlani, o projeto de expansão da empresa iniciou ainda em 2019, com o intuito de atender os pacientes de cidades menores, disponibilizando um tratamento de qualidade sem que houvesse a necessidade de deslocamento para grandes centros. “Vimos que a região não tinha nenhuma clínica que ofertasse esses serviços e então trouxemos à Guaporé um atendimento multidisciplinar bem no início da pandemia”, menciona. 

Formados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Rio de Janeiro, os oncologistas clínicos atendem nos consultórios da Vivere procurando sempre trazer aos pacientes toda a tecnologia disponível no mercado. “Ambos tivemos formação no Inca, que é o maior centro público de câncer do país e o maior centro formador de recursos humanos em oncologia do país e somos especialistas em clínica médica com 14 anos de experiência na área”, explica.

Atendimento acolhedor e tecnológico

Com atendimento psicológico, nutricional, médico, farmacêutico e de enfermagem, as duas unidades possuem equipes especializadas que avaliam o paciente em todos os aspectos. “Temos muito orgulho em dizer que conseguimos trazer e prestar um serviço de qualidade e nosso intuito é fazer com que o paciente sinta segurança e consiga enxergar nossa equipe como um porto seguro”, afirma Furlani.

Com qualidade e tecnologia, o coordenador destaca que a Vivere possui estrutura igual ou até mesmo superior aos grandes centros. “Os pacientes não precisam mais procurar, por exemplo, Porto Alegre ou Passo Fundo para realizar seus tratamentos oncológicos, pois realizamos aqui quimioterapia, imunoterapia, terapia alvo e hormonioterapia sem nada a dever a nenhum grande centro”, salienta.

A clínica apenas não dispõe de radioterapia, pois conforme Furlani, para realizar esse procedimento é necessário um maquinário diferenciado. A possibilidade de passar por procedimentos como esses próximos de suas casas, trazem ao paciente conforto e segurança. “Além disso, ele não terá o transtorno de precisar fazer grandes e demoradas viagens e estará muito próximo de seu médico, enfermeira e toda equipe”, pontua.

Furlani explica que a clínica presta atendimento também a pacientes que não possuem câncer. “Temos estrutura e corpo clínico adequado e de excelência para recepcionar e tratar desde pessoas com câncer, em estado inicial ou avançado, até aquelas que desejam mudar de vida, fazendo tratamentos preventivos”, reforça.

Premiações

O sócio coordenador da filial de Guaporé, o oncologista Roberto Furlani, lembra com orgulho e felicidade da premiação que a Vivere recebeu por dois anos consecutivos. “Tivemos o prazer de sermos agraciados com o prêmio de melhor prestador de oncologia do estado de acordo com a Unimed Federação RS por duas vezes e isso, competindo entre aspas com os prestadores das maiores cidades do Estado Porto Alegre, Bento, de Passo Fundo”, enfatiza.

Furlani diz que o prêmio é ainda mais comemorado ao confirmar a eficiência dos serviços prestados dentro de “duas clínicas pequenas, localizadas em duas cidades interioranas”.

“Isso é motivo de muito orgulho e muita responsabilidade em manter todo esse padrão de qualidade”, afirma o sócio.

Convênios 

    Atualmente a clínica conta com os principais convênios da região, entre eles estão, Unimed, IPE, BRF, Cassi e Cabergs. Furlani reforça que em breve, outros planos de saúde também serão atendidos.

O coordenador diz que mesmo possuindo planos, alguns pacientes utilizam o SUS para fazer seus tratamentos. “Alguns acreditam que os procedimentos realizados no SUS são iguais aos particulares, mas infelizmente essa não é a realidade, nós gostaríamos que fosse, mas mesmo o SUS com toda sua grandiosidade, com todos os serviços prestados à sociedade, ainda não consegue trazer ao paciente oncológico a mesma qualidade dos serviços privados” aponta.

 De acordo com ele, isso ocorre porque os tratamentos oncológicos mudam muito rapidamente “O que é verdade hoje, não era ontem e talvez não será amanhã, pois os procedimentos mudam, drogas antigas deixam de ser utilizadas e no SUS o paciente infelizmente não tem acesso a isso”, salienta.

Furlani ainda diz que é possível observar um atraso para o início das terapias no SUS. “Às vezes, pessoas nos procuram com três, quatro meses já de diagnóstico sem nenhum tratamento e isso é muito angustiante pra todos, pois pode tornar uma doença inicial em uma doença avançada e até mesmo transformar uma doença curável em uma doença incurável”, frisa.

Dessa forma, o médico diz que compreende a preocupação com os custos, mas reforça que existem diversos tipos de intervenções e que existem tratamentos acessíveis. “Nós fazemos todo o possível para que os serviços possam ser entregues ao paciente da forma mais justa possível, mas é de suma importância que os que possuem convênio procurem clínicas privadas, pois pode ser essa a diferença entre a cura ou não”, afirma.

Outubro Rosa

Outubro é o mês dedicado a campanhas de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e conforme Furlani, a Vivere realiza durante todo o ano, trabalhos de prevenção. “O lema da campanha é quanto antes melhor e o câncer de mama pode ter um diagnóstico precoce através de alguns exames, como a mamografia e a ultrassonografia”, esclarece.

De acordo com ele, alguns casos só são detectados por meio de exames com tecnologia avançada, como a ressonância nuclear magnética. “Além disso, é importante que a mulher faça o autoexame e conheça seu corpo, percebendo alterações”, explica.

O médico oncologista ainda diz que é importante a mulher procurar um mastologista, caso apresente lesões na mama ou na axila. Os sinais de alerta são lesões como gânglios ou linfonodos, feridas, úlceras, vermelhidão, eritema, edema da pele ou aspecto de casca de laranja. “Em alguns casos pode ocorrer até do mamilo inverter-se”, explica.

A Sociedade Brasileira de Mastologia aconselha que todas as mulheres a partir dos 40 anos devem fazer acompanhamento anual com o profissional mastologista, “mas em algumas situações, principalmente em mulheres com histórico familiar muito forte pra câncer ou em famílias em que já haja o diagnóstico de alguma mutação patogênica ou alguma mutação ligada ao câncer de mama, a prevenção deve começar a partir dos 35 anos, caso não haja nenhum sintoma”.

Furlani reforça a necessidade da prevenção, pois, conforme ele, existem fatores de risco que podem ser modificados e outros não. “Sabemos que quanto maior a idade, maior o risco, isso não pode ser mudado, mas a mulher pode ter atenção e fazer o acompanhamento regular, pois pode modificar fatores de risco como sedentarismo, alcoolismo, tabagismo e obesidade”, ressalta.

 Além da idade, pode-se considerar como fator de risco a menopausa tardia e a menstruação precoce. Ainda, é necessário que a mulher converse com seu ginecologista sobre o uso de anticoncepcional. “O uso de anticoncepcionais por longo prazo pode aumentar o risco de câncer de mama, mas isso é mais comum com as pílulas mais antigas que tinham dosagens hormonais muito elevadas e deve ser discutido e visto caso a caso e se necessário, deve-se realizar a troca por terapias mais modernas”, esclarece.

“A principal mensagem que deixo é de esperança. Apesar de o diagnóstico de câncer ser bastante grave e de existir um grande peso emocional nesta palavra o diagnóstico e o tratamento adequado aliados ao suporte por equipe multidisciplinar oferecem as maiores chances de cura com o menor índice de sequelas, possibilitando uma vida plena e com saúde aos pacientes”, reforça.

Futuro

Para o futuro, Furlani afirma que o intuito é de expandir e aumentar a visibilidade que a Vivere possui para outras cidades da região. “Muitas localidades próximas não nos conhecem e queremos que as cidades vizinhas aqui de Guaporé, como por exemplo, Arvorezinha, Anta Gorda, Ilópolis, Encantado, Vespasiano Corrêa, Serafina e tantas outras ao redor, saibam de nossos serviços e da qualidade de nosso atendimento”, adianta.

De acordo com ele, os próximos passos serão dados para que os serviços e procedimentos ofertados sejam divulgados. “Queremos que as pessoas conheçam e venham utilizar os serviços, para fazer seus tratamentos, e prevenções, perto de casa, com proximidade, qualidade e conforto”, destaca.

O sócio coordenador convida a todos a conhecerem a clínica e a estrutura que ela possui. “Estamos à disposição para tudo o que precisarem”, finaliza. 

 

 

 

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.