Após repercussão da notícia que Caso Potrich teria um novo delegado, inquérito é entregue hoje

3247

O Eco Regional divulgou na terça-feira, 23, que o delegado Humberto Messa Rohering estava assumindo a Delegacia de Polícia de Anta Gorda, a portaria foi publicada na segunda-feira, dia 22.

Na terça-feira, a equipe de reportagem esteve na delegacia de Anta Gorda e o inquérito ainda não havia sido concluído. Em entrevista com o delegado Marcio Marodin, ele afirmou que não tinha novidades sobre o caso. Já o delegado Humberto disse que passaria a ser responsável pelo inquérito que ganhou repercussão estadual.

A matéria publicada pelo Eco Regional gerou grande repercussão, só na página do Facebook foram 72 comentários, 38 compartilhamentos. No site a matéria teve 2851 visualizações.

Ao meio-dia de quarta-feira a Policia Civil divulgou uma nota a imprensa conforme segue.

 

Nota à imprensa

A Polícia Civil, por meio da 24DPRI/Soledade e DP/Anta Gorda, vem a público esclarecer que, diferentemente do divulgado por órgão de imprensa, o inquérito policial referente aquele que ficou conhecido como “caso Potrich” não possui novo delegado. O delegado responsável pelo caso foi o delegado Guilherme Pacífico, o qual, após sua nomeação para a Subsecretaria de Segurança Pública do Estado do Espírito Santo, transferiu os trabalhos ao Delegado de Polícia Marcio Marodin, o qual, atualmente, responde pela Delegacia de Polícia Regional e outras quatro delegacias de polícia de nossa região. Apesar de estar incumbido do desempenho destas várias atribuições e da DP de Anta Gorda contar com apenas uma policial, o inquérito policial foi encerrado durante o feriado de Páscoa pelo Delegado de Polícia Marcio Marodin e será entregue, nesta data, ao Poder Judiciário da Comarca de Encantado. Na conclusão do Inquérito Policial, o suspeito do crime foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Destacamos, ainda, que as razões do indiciamento são praticamente as mesmas expostas pelo representante do Ministério Público, quando do oferecimento da denúncia ao Poder Judiciário, sendo destacado pelo ilustre Promotor de Justiça o trabalho realizado pela Polícia Civil na condução da investigação do caso. Por derradeiro, cabe enfatizar que Polícia Civil Gaúcha é uma instituição que trabalha diuturnamente em defesa da sociedade gaúcha, gozando de extrema credibilidade dentro e fora do Estado. Neste sentido, ilações acerca da honestidade de seus integrantes devem ser feitas com base em provas consistentes sob pena de responsabilização civil e criminal.

 

Por Carine Pompermaier

 

 

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome