Doce empreendimento na juventude

714
Foto: Letícia Nunes

Quando você pensa em um doce, o que lhe vem à cabeça? Muitas devem logo lembrar do chocolate. Seu cheiro, gosto e sabor são inconfundíveis. Essas características vêm à tona logo que se procura, em Ilópolis, a casa de Vitória Aco, de apena 19 anos. Uma jovem sorridente e muito acolhedora que recebe com um olhar e uma conversa adocicada. Também pudera, a sua produção de doces está sendo comentada não só pela comunidade local. Arvorezinha, Anta Gorda e Putinga já conhecem seus produtos.

 

O início

Vitória revela que tudo começou no final do ano passado, quando pra auxiliar em suas despesas com a faculdade de Arquitetura resolveu investir na produção de trufas. Inicialmente, recebeu o auxílio de sua mãe, Sandra, e atualmente desenvolve a atividade com mais uma funcionária. “Em janeiro deste ano começamos a pensar também nos docinhos para aniversários e festas, e hoje produzimos desde a trufa até os mais elaborados. Tudo isso me foi proporcionado através de cursos que realizei em Porto Alegre”, ressalta.

Outro fator que determinou esta decisão foi a influência de uma tia e uma madrinha, Ariela e a Áurea, respectivamente. “Minha tia Ariela, que reside em Anta Gorda me ensinou alguns tipos de doces e a Áurea as trufas. Aí pensei, se elas fazem, eu também posso fazer, nem que seja para me ajudar a pagar o ônibus da faculdade, deu e vem dando certo até o momento”, afirma.

 

A decisão de seguir os dois caminhos

Incerta se irá seguir o caminho da culinária ou da arquitetura, disse que para o futuro pretende se especializar e ter mais cursos para aumentar a variedade dos doces, contudo está decidida a continuar a graduação. “Acho que consigo fazer as duas coisas, são bem distintas, mas consigo.” A pretensão com isso é fazer com que mesmo que Vitória não esteja por perto com o auxílio da mãe e de funcionários confiáveis proporcionarão o desempenho das duas atividades simultaneamente.

O cardápio da Doces e Chocolates Vitória é repleto de sabores desde um simples brigadeiro ao gourmet, Nutella com Leite Ninho, nozes, totalizando 23 opções. Conciliar o quarto semestre de faculdade não tem sido fácil, contudo os cursos que pretende fazer, agora na área de decorados, ela realiza nos finais de semana, entre o sábado e o domingo. Durante a semana as tarefas são bem dividas. “Procuro me envolver com os doces durante o período da manhã e na parte da tarde estudo. Às vezes dá uns atropelos, mas a gente se vira, dá um jeito”, salienta a estudante.

O futuro

O sonho futuro parece não estar tão longe assim, pois em menos de um ano a empresa já tomou um rumo positivo e bem acelerado.  A jovem pretende expandir a empresa para que ela tome novas proporções, como atingir outros municípios e ter uma vitrine, um estabelecimento próprio para a venda. “Desejo aumentar nossa produção e que a marca seja conhecida. E por que não uma loja de doces no centro da cidade de Ilópolis?”

Confira a matéria completa na edição impressa do jornal.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome