Além dele, produtores de Nova Alvorada plantam canola, aveia e cevada

Quem chega a Nova Alvorada se depara com campos verdes, repletos de trigo, aveia, canola ou cevada. Apesar de a área plantada ter diminuído com relação aos últimos anos, alguns agricultores ainda investem no cultivo como uma opção para rotação de cultura.
Um dos motivos pela redução no plantio é o clima que, mesmo sendo o principal aliado dos produtores, é o pior dos vilões. Nos últimos anos ele foi o responsável pelas perdas nas lavouras de trigo, no município e em todo o Rio Grande do Sul.
O produtor rural Eloir Romanini é quem apostou, por mais um ano, no plantio de trigo e aveia. Ele havia deixado a atividade de lado durante anos e, desde 2017, a retomou. “Esses anos eu plantava um pedaço, mas como era muito difícil, não tínhamos lucro, eu parei por sete anos e retornei no ano passado, porém fui prejudicado de novo pela chuva, foi quando o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio do Proagro, nos auxiliou. Então nessa entressafra plantei de novo para experimentar”, conta Romanini que faz o plantio em parceria com o primo Marciano.
Segundo ele, o trigo é uma planta que depende muito do clima e de suas condições. “Não dá para visar lucro no trigo, é mais para uma rotação de cultura”, disse.
Já a aveia, o agricultor planta somente a semente para fazer a palha utilizada para cobertura da lavoura. “Se dá bem, dá para colher para tratarmos os suínos, mas serve mais para a cobertura do solo”, explica.
A área plantada totaliza em 70 hectares entre as duas culturas e está localizada na saída da cidade de Nova Alvorada e na Linha Borelli. Durante a safra de verão, Romanini cultiva soja. “São cerca de 240 hectares espalhados em lavouras aqui na cidade e em cidades vizinhas”, finaliza.
Conforme o chefe do escritório municipal da Emater, Romeu Cezar Deon, os agricultores utilizam o cultivo da aveia, se não há possibilidade de colher para comercialização, na cobertura do solo e alimento para o animal. “Essas culturas de inverno, como trigo, canola, aveia e cevada, que são utilizadas para rotação de cultura, dependem muito das condições climáticas e é devido a isso que muitos produtores estão deixando de lado”, fala, explicando que a recomendação é sempre fazer um plantio na entressafra.

Saiba mais:

Com produção em
baixa em todo o
estado, o trigo deve ter uma área plantada de
600 mil hectares, neste ano. É a menor, desde 2001, quando foram cultivados 615 mil hectares, de acordo com o IBGE.

Deixe seu comentário