Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioDestaqueMulheres fortes e lutadoras perpetuam o legado de Anita Garibaldi

Mulheres fortes e lutadoras perpetuam o legado de Anita Garibaldi

Mulheres estão sendo homenageadas na Semana Farroupilha pelo seu legado na sociedade

Anita Garibaldi foi uma revolucionária, conhecida por seu envolvimento direto na Revolução Farroupilha e no processo de unificação da Itália, junto com o revolucionário e seu marido Giuseppe Garibaldi. Por esse motivo, é conhecida como a “Heroína dos Dois Mundos”.

Considerada, no Brasil e na Itália, um exemplo de dedicação e coragem, Anita foi homenageada pelos brasileiros com a denominação de dois municípios, ambos no Estado de Santa Catarina: Anita Garibaldi e Anitápolis. Em abril de 2012, foi sancionada a Lei 12.615, que determinou que seu nome fosse inscrito no Livro dos Heróis da Pátria, depositado no Panteão da Liberdade e da Democracia, em Brasília.

 

Anitas da atualidade

Anitas sempre existiram na nossa sociedade. Mulheres fortes, lutadoras, que travam sua própria guerra diariamente. O legado de lutas de Anita Garibaldi é exemplo para as mulheres que saem de casa em busca de espaço no mercado de trabalho, cuidam de sua casa, sua família e filhos, sem nunca deixar a doçura e a vaidade de lado.

Neste ano, CTGs de todo o Estado estão homenageando mulheres que se destacam em suas profissões ou na sua vida pessoal, elas são as “Anitas” homenageadas pelas entidades.

A delegada Fabiane Bittencourt é um exemplo de Anita da atualidade, sendo mãe, esposa, mulher e uma profissional exemplar. Há 13 anos atuando como delegada da Polícia Civil, ela já trabalhou na Força Nacional, em Goiânia, Maceió, Rio de Janeiro e Brasília, e no Rio Grande do Sul, nas cidades de Caçapava do Sul, Cachoeira do Sul, Tapes, e há dois anos está à frente da Delegacia Regional de Soledade.

Fabiane é casada e mãe de duas filhas, uma de 18 anos e outra de dois anos. Ela conta que a sua vida profissional não tem rotina, e por isso é difícil conciliar com o dia a dia das filhas. “Cada dia temos uma demanda diferente, muitas vezes planejamos algo e temos que nos reprogramar, fazemos uma agenda semanal, mas de fato normalmente não conseguimos cumprir o planejado. Todo o dia acontece algo novo, é uma agenda corrida, até por que o crime não tem dia e nem hora”, relata.

Ela complementa: “Então, de acordo com a demanda de criminalidade, a gente acaba então pautando as nossas atividades do dia. Em especial a gente realiza plantões, atuamos nas investigações e tem toda uma parte administrativa também que as pessoas não conhecem”.

Ela fala da relação familiar: “A minha rotina é intensa, ela não consome só o horário do expediente, muitas vezes nos chamam durante a noite, e finais de semana. Algumas vezes estamos em alguma atividade familiar e a polícia nos aciona, temos que estar prontos para atender. Isso acaba nos forçando a deixar de lado a vida pessoal e ficar longe da família”.

A delegada ressalta que a rotina profissional não é fácil, mas que com a colaboração de pessoas que estão em volta é possível ajustar. “Eu conto com a colaboração da minha família, do meu marido, e de pessoas que trabalham comigo, então isso acaba facilitando, cada um deles ajuda um pouco e assim consigo dar conta, mas não é uma tarefa fácil”.

 

Privações

Vindo de uma família de policiais, Fabiane conta que a escolha da profissão foi algo natural, e se diz realizada com a carreira que escolheu. “A vida de policial sempre fez parte da minha vida, meu pai é policial militar aposentado, então já desde pequena no meu ambiente familiar a polícia sempre foi algo natural, e trago essa vontade, tanto que quando eu me formei na faculdade de Direito, passei a estudar para concursos, e sempre na área da segurança pública”, diz.

Ela ressalta que para conseguir desempenhar o seu trabalho é necessário abrir mão de muitas coisas. “Muitas vezes tenho que me privar da convivência com as minhas filhas e com a família. A minha filha mais velha, que acompanhou toda minha trajetória de estudos para ingressar na carreira e depois o início das minhas atividades, o tempo que morei fora, ela se orgulha do meu trabalho, mas diz que não quer ser policial. Então, com certeza é uma carreira muito gratificante, mas acaba sacrificando a convivência familiar”.

Mas ela salienta: “A família acaba entendendo a nossa rotina e se acostumando até com as ausências. Porém, a perda do convívio acaba pesando sim”.

 

Exemplo para outras mulheres

Por seu trabalho destacado e sua postura como mãe e mulher, Fabiane é exemplo para muitas mulheres. Muitas se espelham nela para sua vida pessoal e profissional. A delegada afirma que é muito gratificante saber que consegue ajudar outras mulheres com o seu trabalho. “Para mim é muito gratificante, quando saio às ruas recebo muito carinho, mulheres me abordam e expressam a admiração que sentem, também mandam mensagens. Esse carinho me faz continuar firme, atuante mesmo diante de dificuldades”.

A delegada salienta que se sente orgulhosa em poder ajudar as mulheres, até por saber que muitas delas têm uma vida difícil. “O mundo hoje é tão difícil para as mulheres, a gente tem tantas dificuldades, cobranças da sociedade, é muito bom que o meu trabalho de alguma forma possa ajudar outras mulheres, que muitas vezes passam por alguma dificuldade familiar ou profissional”.

Ela afirma: “Com certeza ser inspiração para outras mulheres me gratifica muito e me deixa muito orgulhosa e realizada. Tudo o que faço eu faço com amor, eu gosto do que faço e por isso estou sempre motivada a fazer melhor”.

 

Profissão x vaidade

Fabiane é vaidosa e está sempre bem arrumada, com o cabelo, maquiagem e unhas impecáveis, mas ela afirma que se manter assim é difícil. “Nem sempre estou como eu gostaria, nunca está 100%, eu acho que essa é uma dificuldade de todas as mulheres, somos muito cobradas pela sociedade, temos que ser boas mães, boas profissionais, e tem que ser bonita, vaidosa, bem arrumada, e nem sempre conseguimos dar conta de tudo”.

Ela pontua: “Embora pareça, eu nem sempre dou conta, penso que estou sempre em débito com alguma coisa, mas busco conciliar tudo. Cem por cento tudo, a gente nunca consegue ser, o importante é a gente buscar, aprender, melhorar e tentar corresponder em todos os aspectos”.

Ela finaliza: “As mulheres têm uma capacidade muito grande, temos a habilidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo. As mulheres têm uma característica importantíssima, que é a proatividade, o positivismo, as mulheres são dedicadas, são determinadas, isso já é da essência feminina. Muitas vezes, embora a gente tenha algumas dificuldades já pela natureza da gente, como a maternidade, profissionalmente podemos ter uma dificuldade. Em contrapartida, nós temos muitas características especiais que nos tornam pessoas diferenciadas e acredito que até com uma capacidade maior.  E eu acho que o segredo está em saber usar dessas habilidades para alcançar os nossos objetivos, sejam pessoais, sejam profissionais, nós podemos chegar onde quisermos”.

Mesmo em ação, o instinto de mãe fez com que Fabiane cuidasse do filho de uma mulher detida durante uma operação

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.