Planta nativa reconhecida como produto alimentício

333
A erva-mate é um produto que mantém a economia da região

A erva-mate será incluída na merenda escolar

O setor ervateiro está a um passo de ver a demanda de produção aumentar. Com a definição da Portaria Interministerial n° 284, a planta nativa da região foi reconhecida com valores alimentícios. Com a resolução, a planta passa a ser inserida em três programas, sendo eles: Programa de Aquisição de Alimentos (PAA); no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e na Política de Garantia de Preços Mínimos para os Produtos da Sociobiodiversidade (PGPMBio).

A proposta surgiu de uma ideia da Frente Parlamentar da Erva-Mate na Assembleia Legislativa. Esta frente foi formada para alavancar o setor ervateiro do Rio Grande do Sul, que gera atualmente cerca de 60% de toda demanda nacional.
A sócia proprietária da ervateira Sabadin, Angélica Sabadin, destaca que o procura pela matéria-prima vem aumentando. “O crescimento gradativo pode ser notado pela constante procura até mesmo de jovens. São notórios os benefícios da erva-mate, e esse fato contribui cada vez mais para o aumento de produção e venda”, ressaltou.
O símbolo gaúcho conquista aos poucos um lugar inimaginável, o cardápio. Com a resolução da Portaria Interministerial n° 284, este espaço deve ser ainda mais explorado por especialistas. De acordo com a nutricionista, Ângela Valério, a erva-mate é de grande valor nutricional. ”Ela atua como um coadjuvante para perda de peso, sem contar que ela melhora os níveis de colesterol, desde que seja aliada a uma dieta de qualidade e sem grandes exageros. Ela também ajuda a regular a pressão sanguínea e o ritmo cardíaco, além de ser energética, diurética, laxante, afrodisíaca e boa para pele e memória”, conclui.
Pode-se dizer que a erva-mate é uma planta completa tanto alimentícia quanto medicinal. A profissional ainda complementa. “Avalio esta resolução como um passo importante tanto para saúde quanto à garantia de produção desta planta”, salienta. Para uma das proprietárias da Inovamate, Ariana Maia, a portaria é um grande passo para a comprovação de inúmeros benefícios da erva-mate, e que a planta nativa merece ser valorizada, ela ainda comenta sobre os estudos realizados com a planta. “A Inovamate é uma empresa participante do Sistema de Incubação Externa do Parque Tecnológico da Universidade de Passo Fundo, que desde 2016 vem estudando a erva-mate, estes estudos são feitos por professores, acadêmicos de engenharia química e engenharia de alimentos, preocupados com a qualidade de vida da população, este grupo pretende iniciar um estudo clínico em humanos para testar uma bebida desenvolvida para diminuir o colesterol e triglicerídeos”, salientou.

Nutricionista Ângela Valério avalia
positivamente o projeto
Representante da Inovamente incentiva
Sócia proprietária da ervateira Sabadin,
Angélica Sabadin

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome