Essa matéria é exclusiva para assinantes do jornal digital.

Já sou assinante do jornal digital!

InícioMunicípiosAnta GordaPadre Felipe Bernardon completa cinco anos de sacerdócio

Padre Felipe Bernardon completa cinco anos de sacerdócio

Natural da comunidade São Roque de Linha Tunas, o religioso atua atualmente nas paróquias de Sinimbu e Herveiras

Ele tem apenas 32 anos de idade, mas foi ainda em 10 de junho de 2016 que deu um importante e definitivo passo na fé, quando foi ordenado padre. Filho de Luiz Carlos Bernardon e Ivete Lurdes Rovadoschi Bernardon, o religioso Felipe Bernardon atribui à família seu ingresso e realização na vida sacerdotal.

“O Papa Francisco diz que toda vocação nasce da oração: individual, familiar ou da comunidade. A minha vocação de ser padre, nasceu da oração da minha família, de modo especial meus avós paternos Liberal Luiz Bernardon e Pedrinha Zatt Bernardon que, sempre rezaram a Deus pedindo um padre na família”, conta. “Tive o apoio de ser padre desde pequeno pela minha família e depois incentivo da comunidade São Roque de Linha Tunas, de onde sou natural, quando comecei a ser coroinha com sete anos”, acrescenta.

Ele recorda que no tempo em que estudou na Escola Padre Alfredo Antonelli, de Itapuca/Anta Gorda, sempre foi acompanhado pelos padres Carlistas de Guaporé, junto aos padres da paróquia local e de modo especial o Padre Darci e Padre Giocondo. “E aos 14 anos entrei no Seminário de Arroio do Meio para iniciar a formação de ser sacerdote. Posso dizer que no caminho para ser padre muitas pessoas foram importantes, a minha gratidão e oração a todas elas”, salienta.

O religioso acredita que desde o ventre materno Deus o chamou pelo nome. “A minha mãe tinha o sonho de ter um filho padre e um casal de gêmeos, e Deus concedeu essa graça aos meus pais. Desde o ventre materno Deus me chamou para ser padre, eu respondi sim à voz e ao chamado do Senhor. Hoje meu desejo é ser um bom padre, próximo de Cristo e das pessoas, e tenho o sonho de visitar o Vaticano, junto aos meus pais”, revela.

Conforme Bernardon, ele é o único de sua família, que seguiu o sacerdócio. “Meu tio Arno foi ao Seminário, fez quatro anos de formação e depois decidiu seguir a vocação familiar. Mas, da família Bernardon e Rovadoschi sou o primeiro da família a ser padre. Rezo para que nasçam novas vocações sacerdotais em minha família e na comunidade”, frisou ao deixar um conselho aos jovens quanto à carreira religiosa. “A vida hoje apresenta vários caminhos ou escolhas, mas a vida sem fé, sem Cristo é ilusão. Jovens, escutem o chamado Deus, vocês serão mais felizes se ouvirem e fizerem a vontade Dele em sua vida. E vivam com dignidade e santidade a vocação que seguirem”, pontuou.

O religioso ainda revela momentos marcantes ao longo de sua caminhada. “Na vida de padre os momentos mais marcantes para mim são os de Santa Missa, onde o padre consagrar o Pão e Vinho em nome de Cristo que se torna o Corpo e o Sangue de Cristo, o Pão da Vida para os fiéis”, declara.

Trajetória

Aos 14 anos Felipe Bernardon iniciou a formação do Ensino Médio no Seminário Sagrado Coração de Jesus, de Arroio do Meio, após um ano de Propedêutico no Seminário São João Batista de Santa Cruz do Sul, e após três anos de filosofia e quatro anos de Teologia em Porto Alegre.

Foi ordenado padre no dia 10 de junho de 2016 na Gruta Nossa Senhora de Lourdes de Itapuca/Anta Gorda, na noite mais fria do ano, pelo Bispo Dom Paulo de Conto. No primeiro ano como padre atuou na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Arroio do Meio, no segundo ano atuou na Paróquia Santo Inácio de Lajeado, e há três anos está na Paróquia Nossa Senhora da Glória de Sinimbu e Paróquia Santa Terezinha de Herveiras.

“Rezo para que nasçam novas vocações sacerdotais em minha família e na comunidade.” Felipe Bernardon, padre.

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome

SIGA-NOS

42,064FãsCurtir
11,807SeguidoresSeguir
1,140InscritosInscrever

ÚLTIMAS

error: Alerta: Conteúdo protegido contra cópia. Utilize nossos botões de compartilhar.