Alberto Tomelero é reeleito presidente do Ibramate

2

Na reunião, foi divulgado que a abertura da colheita da erva-mate em 2020 será em Ilópolis

Por Daiane Kalsing

O Instituto Brasileiro da Erva-Mate (Ibramate) reconduziu Alberto Tomelero à presidência. A eleição da diretoria foi realizada no último sábado, 20, durante reunião na Câmara de Vereadores. Tomelero assume o cargo por mais três anos, tendo na vice-presidência, Clairton da Fonseca. O ato também confirmou e deu posse aos membros dos conselhos Fiscal e Deliberativo, que contou com renovações, atendendo a exigências dos estatutos.

Além disso, como forma de divulgação da erva-mate, cujo projeto de lei foi aprovado pelos deputados estaduais, ficou estabelecido que em 2020 será oficializada, por meio de evento especial, a abertura da colheita em Ilópolis; em 2021 em Venâncio Aires; em 2022 em Novo Barreiro e em 2023 em Erechim.
Na ocasião ainda foi apresentado e aprovado por unanimidade o resultado da auditoria das contas dos últimos três anos do instituto, realizada pelo contador Santos Flores, que também já auditou contas na Ascar/Emater-RS.
Reeleito, Alberto Tomelero afirmou que com ânimo e ares de reconciliação, serão atingidos os objetivos do instituto. “Esse fortalecimento do setor deve ocorrer com a finalidade de integrar e desenvolver a cadeia produtiva da erva-mate, contando com o apoio de associados e dos diferentes poderes públicos, instituições e parceiros”. Relata ainda que tanto ele quanto Clairton assumiram a um ‘mandato tampão’ da diretoria anterior, em função de problemas que aconteceram.
“O Ibramate no momento estava com uma série de problemas como falta de recursos, inclusive para pagar o diretor executivo. Além disso, havia certo desentendimento entre Ibramate, Sindimate e a própria Emater. Nossa proposta é manter o setor ervateiro unido. Nos propusemos a trabalhar em cima de diálogo e união da categoria, apaziguando o setor”. Segundo o presidente, os desentendimentos reduziram o número de associados contribuintes. A ideia, no entanto, é recomeçar, reestruturar e organizar o Ibramate, trabalhando para aumentar a receita e buscar novos associados.
Em relação à contratação de um novo diretor executivo, Tomelero afirma que isso só será possível quando houver recursos e for assinado o convênio com o Fundomate para liberar os recursos. Mesmo assim, com o plano de trabalho já aprovado desde o ano passado, a Secretaria de Agricultura do Estado não consegue auxiliar com a liberação em função de problemas burocráticos e acredita que no momento, é preciso usar a força política para alavancar o setor.
Para o atual mandato, Tomelero quer continuar pagando os créditos do diretor anterior, Roberto Ferron, além de formar uma frente e contar com os deputados da frente parlamentar em defesa da erva-mate na Assembleia Legislativa para buscar os recursos que necessita, implementando o plano de trabalho já aprovado. “Assumimos o instituto com R$ 100 mil em dívidas e praticamente sem dinheiro no caixa. Gostaríamos que outras pessoas assumissem nessa eleição, mas como ninguém se prontificou nos propusemos a continuar desde que tenhamos o apoio do setor”.
Ainda, conforme Tomelero, o relacionamento com o Sindimate está muito bom, tanto que está de acordo com as ações do Ibramate. “Esse apoio nas ações no instituto é positivo, pois é uma entidade que representa a indústria, pois sem ela o mercado da erva-mate não funciona. Também está contribuindo com a parte financeira e se unindo às reivindicações junto com o Governo”, finalizou.

Eleição da nova diretoria ocorreu no último sábado

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome