Em seis anos, município registrou decréscimo de 49% no número de avicultores

184
Autoridades participaram da abertura oficial do Encontro

O atual cenário da atividade avícola em Nova Alvorada está causando preocupação. Dados relacionados à aves e suínos foram apresentados durante o XII Encontro de Avicultores e Suinocultores, realizado no município, no dia 26 de maio.
O evento técnico reuniu mais de 100 produtores rurais, que acompanharam a apresentação de dados e palestras na Casa da Cultura. Ao meio-dia, um almoço foi servido no CTG Rancho da Amizade e no turno da tarde, o grupo assistiu ao show humorístico de Zé Calvi.
O dado que gera preocupação é quanto ao decréscimo no número de avicultores. Em 2009, o município registrou 92 produtores de aves. No ano de 2012, o número aumentou para 107. Atualmente 54 produtores permanecem na atividade. Uma queda de quase 50% na atividade que representa mais de R$ 14 milhões/ano aos cofres públicos.
O número de aves alojadas também mudou. Mesmo tendo aumentado o número médio de aves alojadas por propriedade de 14.780 para 19.290, o plantel do município diminuiu de 1,63 milhão para pouco menos de 1,10 milhão aves, redução de 36%.
Os fatores determinantes para os números diminuírem são a necessidade de investimentos nos aviários, mercado frágil e instável, envelhecimento do produtor e o êxodo dos jovens do campo, necessidade de tecnificar, auto valor inicial do investimento e falta de garantia de remuneração mínima.
A Suinocultura que representa pouco mais de R$ 3 milhões de retorno aos cofres públicos. Pouco menos de 40 produtores trabalham com a atividade no município e em torno de 21,1 mil suínos são alojados.
Apesar de ser uma excelente alternativa de renda para pequenas propriedades rurais, a fragilidade e instabilidade do mercado comprador, aumento do custo de produção, investimento inicial, são algumas das dificuldades limitantes da Suinocultura.
Em seguida, palestras com o presidente da Acsurs, Valdecir Folador, do representante da empresa JBS, Fernando Tibola, e com o engenheiro agrônomo da Emater, Rafael Machado, foram ministradas. Além disso, o avicultor Paulo Burille apresentou relato de experiência com a avicultura em sistema Dark House em sua propriedade.
Segundo o técnico da Emater de Nova Alvorada, Romeu Deon, o encontro buscou debater o cenário atual da avicultura e suinocultura e a busca de caminhos para a ampliação e viabilização das atividades “Uma análise melhor da eficiência e melhor manejo de dejetos para aproveitamento de nutrientes, além da diminuição do potencial poluente e dados do nosso município, foram oferecidos durante o encontro técnico. Agradecemos a todos os produtores que vieram buscar conhecimentos”, disse.
Em seu discurso, o prefeito Luciano Maronezi agradeceu a presença dos agricultores e frisou que a Administração investe nas propriedades rurais. “A informação, conhecimento e experiência são os detalhes que fazem o sucesso das atividades”, disse.

Programa Municipal de Incentivo Agropecuário

Durante a manhã, o prefeito Luciano Maronezi apresentou o Programa Municipal de Incentivo Agropecuário.
Durante a explanação, Maronezi destacou que são 12 linhas de incentivo agropecuário e que entre elas está o incentivo para construção/ampliação de pocilgas, aviários, estábulos, estufas de secagem de fumo e agroindústria familiar.
Para solicitar o incentivo, o agricultor deverá requerir junto a Secretaria de Agricultura. O pedido será analisado pelo Conselho Municipal de Agricultura e, se aprovado, a Administração realizará o pagamento por depósito bancário.

Incentivo agropecuário para suinocultura e avicultura– para construção de empreendimentos novos, serviços de terraplanagem e acesso, limitado à uma hora de conjunto de terraplanagem.

Suinocultura – pedras brita nº 01, na quantidade de 1m³ para cada 20m² de área construída. Auxílio de R$ 12 ao suíno alojado (terminação). Auxílio de R$ 6 ao suíno alojado (recria de suínos). Auxílio de R$ 12 por m² de área construída para ciclo completo.

Avicultura – para construção/ampliação de aviários novos: aviário modelo convencional – R$ 1,10 por ave alojada. Aviário semi-climatizado/climatizado: R$ 1,30 por ave alojada. Aviário Dark-House: R$ 1,50 por ave alojada.

Prefeito Luciano Maronezi apresentou lei de incentivos
Técnico da Emater, Romeu Deon
Mais de 100 produtores participaram do evento

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Por favor, informe seu nome